Pandemia deve jogar 14,4 milhões de brasileiros na pobreza

As turbulências econômicas causadas pela pandemia da Covid-19 estão levando o mundo para a maior recessão desde 1870. O Brasil deverá ter a maior queda do PIB desde 1901 e 14,4 milhões de brasileiros deverão ser jogados para a pobreza. Os números são resultados de diversos estudos de entidades como a ONU e o Banco Mundial.

O aumento da pobreza foi apontado por universidades da Austrália e do Reino Unido em parceria com a ONU. O estudo levou em conta vários cenários de diminuição de consumo para chegar a esses índices.

“Uma boa saída para mitigar os efeitos dessa queda de consumo é a renda básica permanente. Já sabemos que o auxílio básico emergencial nesta crise evitou que várias pessoas estivessem abaixo da pobreza extrema”, afirmou o diretor do Sindiquímica-PR Gerson Luiz Castellano.

O Banco Mundial fez uma projeção de queda de PIB do Brasil de 8% para 2020. É uma previsão mais pessimista que a feita pelo Banco Central, de queda de 5,3%. Em ambos cenários, é a maior do país desde 1901. Na América Latina, é apenas inferior ao Peru (-12%) e mesmo assim é o dobro da média da região.

“Isso é reflexo das políticas de austeridade dos governos Temer e Bolsonaro. Já tínhamos uma crise econômica antes da pandemia, com alto desemprego e queda de poder de compra. A pandemia apenas acelerou o processo”, disse o diretor do Sindiquímica-PR Ademir Jacinto da Silva.

A recessão é a mais ampla desde 1870. O Banco Mundial estima que 90% das economias mundiais encolham. Isso é mais que os 85% afetados pela Grande Depressão da década de 1930.

“A solução é o Estado tomar as rédeas da economia. Aqui no Brasil precisamos de investimentos em bem-estar social e isso precisa começar pela revogação da Emenda Constitucional 95, que tira dinheiro da Saúde e da Educação ao criar um teto que não existe em lugar nenhum do mundo”, analisou Castellano.

 

Fonte: Sindiquímica-PR