Outubro Rosa reforça a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama

Durante o mês de outubro, um assunto muito importante fica em destaque: a prevenção ao câncer de mama. A campanha Outubro Rosa, criada nos anos anos 1990 e celebrada em todo o mundo, já se tornou uma tradição que envolve os mais diversos setores da sociedade civil.

Os números relacionados ao câncer de mama confirmam por que a campanha é cada vez mais necessária: a doença foi responsável pela morte de 627 mil mulheres somente em 2018. No Brasil, os números também são alarmantes. De acordo com o Instituto de Câncer José Alencar da Silva (INCA) e o Ministério da Saúde, o câncer de mama dessa natureza vai atingiu 59.700 pessoas no último ano.

O tumor de mama é terceiro tipo mais frequentes da doença, depois do de pulmão e o colorretal, segundo a Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (IARC). Além disso, o câncer de mama é o que mais afeta as mulheres de 157 dos 185 países analisados pela organização.

Para o diretor do Sindiquímica-PR Santiago da Silva Santos, as campanhas de conscientização sobre a doença são fundamentais para a saúde das mulheres trabalhadoras. “A informação é a principal arma na luta contra o câncer de mama. Por isso, é preciso pressionar as empresas a promoverem espaços de diálogo e orientação sobre a doença. A prevenção ao câncer de mama é uma responsabilidade de todos”, destaca.

Diagnóstico precoce

Um dos principais objetivos do Outubro Rosa é conscientizar as mulheres sobre a importância do diagnóstico precoce da doença. Se for identificado em estágio inicial, as chances de cura podem ser até 95% maiores.

A melhor maneira de identificar a doença é por meio da mamografia, que utiliza raios X para localizar possíveis nódulos no seio.  O exame dura cerca de 20 minutos e pode ser solicitado no Sistema Único de Saúde (SUS).

O ideal é que mulheres com mais de 40 anos passem pelo procedimento pelo menos uma vez por ano. Para as que têm histórico da doença na família, o exame deve ser feito a partir dos 35 anos.

Fonte: Sindiquímica-PR