Sindiquímica-PR participa de deliberações na PLENAFUP. Veja os encaminhamentos

O Sindiquímica-PR esteve na VII Plenária Nacional da Federação Única dos Petroleiros (Plenafup), entre os dias 1º e 5 de agosto, realizada na cidade do Rio de Janeiro. Com o tema Petroleir@s pelo Brasil: Reagir, Lutar, Vencer, o evento reuniu trabalhadores de todo o país para discutir saídas e estratégias de resistência diante da atual conjuntura político-econômica.

Além de centenas de integrantes da categoria, representantes de entidades e movimentos sociais também participaram dos debates. Estiveram presentes a Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), Levante Popular da Juventude, Frente Brasil Popular e Frente Povo Sem Medo, entre outros.

O encontro teve atos, painéis, oficinas e debates sobre a política do retrocesso implantada no país desde o golpe de 2016 e a tentativa de desmonte do Sistema Petrobrás.

Na opinião do diretor do Sindiquímica-PR Sérgio Luiz Monteiro, os debates foram importantes nessa delicada conjuntura e alinharam o planejamento estratégico da resistência dos trabalhadores.

“O encontro foi uma oportunidade de reafirmarmos a toda a classe trabalhadora e aos demais setores da sociedade que haverá luta. Sabemos que será uma dura batalha ideológica e política contra os golpistas, como já vem sendo, mas estamos preparados. Vamos continuar lutando com todas as nossas forças contra qualquer tentativa de retirar os direitos e entregar o patrimônio da população brasileira”, afirmou Monteiro.

Deliberações

A Plenafup deliberou que o objeto central da luta da categoria nos próximos meses deve ser a eleição de parlamentares representativos, totalmente comprometidos com a pauta da classe trabalhadora, incluindo Lula, candidato à presidência. A categoria também vai lutar por um processo eleitoral limpo e democrático, com respeito à candidatura do ex-presidente até o final do pleito.

Já o Coletivo Nacional de Mulheres (CNMP-FUP) aprovou o apoio às petroleiras e petroquímicas candidatas a cargos públicos nas eleições deste ano e ao aumento da representatividade feminina em fóruns deliberativos da categoria.

Durante o encontro, as delegações também definiram o calendário de lutas para o segundo semestre de 2018. Além da greve nacional, que já teve indicativo aprovado, serão convocados atos em oposição à privatização da Petrobrás e à conduta entreguista do atual governo em relação ao pré-sal.

Ao longo desta semana, a diretoria da FUP permanecerá reunida para definir ações de implementação das medidas aprovadas na Plenária.

Fonte: Sindiquímica-PR