Segundo volume da Enciclopédia do Golpe é lançado em Salvador durante o Fórum Social Mundial

Na última quarta-feira (14) o segundo volume do livro Enciclopédia do Golpe foi lançado em Salvador (BA) com mesa específica no Fórum Social Mundial.

A obra tem como tema central o papel da mídia no golpe, principalmente quanto à efetivação do impeachment da presidente Dilma Rousseff em 2016. Ele traz 28 textos de autores que são cientistas políticos, economistas, jornalistas, juristas e ativistas que trataram da mídia nesse período.

A jurista Mirian Gonçalves, ex-vice-prefeita de Curitiba, comentou sobre a grande dificuldade em compor e lançar a obra devido ao que ela representa. Mirian ressaltou também que ainda há seis volumes para serem lançados, todos eles com a participação voluntária de diversos autores.

Segundo Eleonora Menicucci, ex-ministra da extinta pasta de Políticas para as Mulheres no governo Dilma, está clara a importância dessa enciclopédia para o Brasil, pois ela registra e conta a nossa história. “O projeto desse livro é uma questão de memória e verdade”, afirmou.

Para o diretor do Sindiquímica-PR Sergio Luiz Monteiro, tanto o Fórum quanto o livro são essenciais para o futuro do país, porque discutem o momento crítico que estamos vivendo. “Precisamos lutar contra esse avanço das forças reacionárias que se espalham pelo país. Vivemos uma conjuntura de violência contra os movimentos sociais e contra aqueles que lutam por Justiça e pela construção de um mundo mais fraterno”, salientou.

Golpe contra as inclusões

De acordo com Eleonora, o golpe tem diferentes facetas. No seu texto para este livro, ela relaciona o golpe com o fato de Dilma ser a primeira mulher presidente do país. “O golpe de 2016 é sexista, misógino, patriarcal, fundamentalista, hipócrita, rentista, judiciário e, sobretudo, midiático. Não tenho dúvidas de que esse golpe foi para estancar um governo de inclusão social”, explicou.

De fake news se fez o golpe

Para o jornalista Camilo Venuchi, o livro todo é sobre as fake news, já que é impossível falar da atuação da mídia no período do golpe sem falar das mentiras. “A mídia mente quando ela fala, por exemplo, que em uma praça tinha 500 mil pessoas de verde e amarelo e nós sabíamos que não tinha nem 5 mil”, comentou.

Fechando o lançamento do livro, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), presidente nacional do partido, falou sobre a intenção do golpe de 2016. “O golpe foi para desestabilizar nossa frágil democracia e retirar direitos”, reforçou.

FSM

O Fórum Social Mundial ocorreu de 13 a 18 de março em Salvador (BA), e configura como um polo de resistência da classe trabalhadora e do movimento social e da busca por um mundo melhor, reunindo 60 mil pessoas durante os cinco dias de evento.

Fonte: Sindiquímica-PR