Plenária Nacional da FUP discutirá lutas contra privatizações

Em meio a uma das mais difíceis conjunturas política e econômica da história do país, os petroleiros reúnem-se entre os dias 01 e 05 de agosto, no Rio de Janeiro, para deliberar sobre questões fundamentais para o futuro da categoria. Com o tema “Petroleir@s pelo Brasil: Reagir, Lutar, Vencer”, a VII Plenária Nacional da FUP (Plenafup) será realizada na região da Lapa, no Centro histórico da capital de um dos estados mais afetados pela entrega dos campos de petróleo e pelas privatizações no Sistema Petrobrás. O setor naval fluminense, que chegou a empregar cerca de 30 mil trabalhadores em 2014, hoje gera menos de oito mil postos de trabalho.

Em tempo recorde, os golpistas conseguiram desmontar o projeto nacional de soberania e de desenvolvimento, que tinha a Petrobrás e o Pré-Sal como principais alicerces. Não faz muitos anos, a petrolífera brasileira despontava entre as maiores empresas de energia do planeta e o Pré-Sal era tido como o passaporte que garantiria o futuro do país. Hoje, a estatal está sendo esfacelada e privatizada a toque de caixa, enquanto a maior descoberta de petróleo da atualidade é entregue de bandeja às multinacionais.

Frear o desmonte da Petrobrás e a retirada de direitos

Com uma greve por tempo indeterminado aprovada nacionalmente, os petroleiros discutirão na VII Plenafup alternativas de resistência ao desmonte promovido pelos golpistas. A reconquista do Estado Democrático permeia a defesa dos direitos da classe trabalhadora e da soberania nacional. Os petroleiros, assim como outros trabalhadores de empresas estatais, enfrentam as privatizações e uma avalanche de ataques a direitos, que colocam em risco a manutenção dos empregos, a Petros, a AMS e o próprio Acordo Coletivo, através de ações unilaterais da gestão da Petrobrás, como o PCR e o O&M.

Solenidade de abertura será na quadra da Tuiuti

A quadra da escola de samba Paraíso do Tuiuti será palco da solenidade de abertura da VII Plenafup, na noite da próxima quarta-feira, 01/08.  Os petroleiros não poderiam ter um local mais inspirador para iniciar os debates políticos que darão o tom desta plenária.  A escola de samba do bairro operário de São Cristóvão, na Zona Central do Rio, surpreendeu o país no carnaval deste ano com um enredo repleto de críticas ao golpe.

Com o enredo “Meu Deus, meu Deus, está extinta a escravidão?”, a agremiação questionou os 130 anos da Lei Áurea e denunciou a atual escravidão criada pelas reformas trabalhista e da Previdência. Uma alegoria gigante de Michel Temer caracterizado como “vampiro” desfilou pelo Sambódromo, ao lado de “manifestantes fantoches” fantasiados de paneleiros com camisetas da CBF e de patos da Fiesp controlados pelas mãos gigantes da mídia.

O samba-enredo, considerado um dos melhores do ano, caiu no gosto popular com refrãos emocionantes, como “Não sou escravo de nenhum senhor/Meu paraíso é meu bastião/
Meu Tuiuti, o quilombo da favela/ É sentinela na libertação” e “Meu Deus, meu Deus/Se eu chorar, não leve a mal/Pela luz do candeeiro/Liberte o cativeiro social”.

A escola conquistou o segundo lugar e promete para o carnaval de 2019 mais críticas ácidas, com o enredo “O Salvador da Pátria”, que contará a história do bode Iôiô, eleito vereador em Fortaleza, nas eleições de 1922, em um protesto feito pela população. “Vendeu-se o Brasil num palanque da praça/E ao homem serviu ferro, lodo e mordaça…/Vendeu-se o Brasil do sertão até o mangue/E o homem servil verteu lágrimas de sangue/Do nada um Bode vindo lá do interior/Destino pobre, nordestino sonhador/Vazou da fome, retirante ao Deus dará/Soprou as chamas do dragão do mar”, diz o samba divulgado recentemente pela Tuiuti e que dá pistas do que está por vir.

Serviço

Quando: 01 a 05 de agosto

Onde: Hotel Galé – Avenida Riachuelo, Lapa, Centro do Rio de Janeiro

Solenidade de abertura: 01/08, às 18h, na quadra da Paraíso do Tuiuti, localizada no Campo de São Cristóvão, 33.

Transporte das delegações: haverá ônibus saindo do hotel para a quadra da Tuiuti

Programação completa

01/08 – quarta-feira

12h – Chegada das delegações e credenciamento

18h – Ato de abertura na quadra do GRES Paraíso do Tuiuti

02/08 – quinta-feira

 06:30h  – Ato na PETROS

09h – Eleição da mesa diretora e aprovação do Regimento interno

10h – Análise da Conjuntura pelas forças politicas que compõem a FUP

12h – Almoço

14h – Painel – “Reconstruir a democracia, a soberania e o desenvolvimento nacional”, com participação de representantes da Fundação Maurício Grabois, Fundação Perseu Abramo, Fundação Lauro Campos, Fundação Leonel Brizola/Alberto Pasqualini e Fundação João Mangabeira

18h – Jantar

19h – Reunião do CNMP e filme sobre Nísia Floresta

03/08 – sexta-feira

9h – Painel – “Mobilizar e ampliar o diálogo com a sociedade”, com participação de representantes da CTB, CUT, Via Campesina e Paulo Fontes

12h – Almoço

14h – Painel – “Protagonismo dos trabalhadores frente ao golpe”, com participação de representantes do DIEESE/FUP/FNU/CONTRAF/FENAE

16h – Debates: Grupo 1 – Previdência/Resolução 23; Grupo 2 – Condições de Trabalho (Efetivo/Regime/Carreira); Grupo 3 – Luta contra a Privatização

19h – Jantar

04/08 – sábado

9h – Painel – “Geopolítica do petróleo e erros de estratégias da Petrobrás”, com participação de representante do INEEP, de Igor Fuser e de José Maria Rangel

12h – Almoço

14h – Painel – “Violência de gênero na política”, com as palestrantes convidadas Márcia Tiburi, Lígia Fabris e Manuela D’Ávila. Homenagem em forma de mística à vereadora Marielle Franco.

18h – Jantar

19:30h – Plenária

05/08 – domingo

9h – Oficina de Formação e Encontro de Comunicação

12h – Encerramento

13h – Almoço e retorno das delegações

[FUP]