Estatais são lucrativas para o país. Mas por que o governo quer privatizá-las?

O governo golpista de Michel Temer tem utilizado uma série de argumentos falsos para convencer o povo de que a privatização de estatais seria algo bom para o país.

Temer mente ao dizer que a privatização iria reduzir a dívida pública e os prejuízos causados pelas empresas do Estado.

Para desmascarar Temer, um recente estudo mostrou que estatais são lucrativas para o Brasil. Os dados foram levantados pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e eles mostram que, além de lucros, nos últimos 15 anos, a Petrobrás e mais de 150 companhias distribuíram um valor superior a R$ 250 bilhões em dividendos para o país.

A nota técnica também desmente os fundamentos do presidente da Petrobrás, Pedro Parente, de que a empresa deve ser privatizada. Considerada a maior estatal brasileira, com escritórios em vários países do mundo, a petrolífera cumpre, segundo o Dieese, um papel estratégico na economia nacional, promovendo investimentos em áreas importantes, como ciência, tecnologia e inovação.

Outra falsa justificativa do governo é a de que medidas privatizantes trazem ganhos para a população. É justamente o oposto. As experiências de programas de privatização implementados na década de 1990 mostraram, em muitos casos, o aumento de preços nos serviços, sem as devidas melhorias em sua qualidade.

Um exemplo disso foi a privatização do setor de distribuição elétrica, que resultou, em 2001, nos apagões e nas medidas para economizar energia que só atingiram a classe trabalhadora.

Conforme explica o diretor do Sindiquímica-PR, Gerson Luiz Castellano, o programa de Temer está na contramão do que se aplica em outros lugares do mundo, pois grande parte das reservas internacionais de petróleo são controladas por estatais.

“Estamos falando de um recurso natural valiosíssimo. Diferentemente das empresas privadas, as estatais devem ser orientadas por decisões do interesse coletivo, conservando o patrimônio e criando projetos que ajudam no desenvolvimento do país”, reforça Castellano.

“Tudo isso comprova que este governo tem como prioridade transferir as riquezas do Estado para as mãos do capital privado”, enfatiza.

Fonte: Sindiquímica-PR